MANIFESTO

MANIFESTO DO COLETIVO FANTASMA

1. O Fantasma é um ente que não está morto: precisamente por ter passado ao estado de já não ser, representa uma recusa perante a Morte.

2. O Fantasma é uma urgência de estar, uma recusa de desaparecimento, um ser espectral entre tudo e nada.

3. O Fantasma é um mediador entre quem ainda é (mas irá deixar de ser) e quem já não é (mas foi um dia).

4. O Fantasma é um indivíduo sem o ser de facto. Na maior parte das histórias sobre fantasmas o Fantasma é um ser solitário que aterroriza, nem sempre com intenção, um indivíduo ou um grupo de pessoas.

5. O Fantasma é uma perturbação, um espírito indomável e inquieto. Em muitas culturas existem rituais de apaziguamento ou afastamento de fantasmas para garantia da quietude e paz dos vivos.

6. O Fantasma não é, está. O Fantasma é uma manifestação ou aparição.

7. O Coletivo Fantasma recusa a morte do pensamento sobre a Cultura e manifesta-se como uma urgência de estar.

8. O Coletivo Fantasma é um espaço de ser num lugar espectral entre tudo e nada.

9. O Coletivo Fantasma é um mediador entre o que foi, o que é e o que poderá vir a ser.

10. O Coletivo Fantasma não aterroriza de forma intencional.

11. O Coletivo Fantasma é uma aparição, uma perturbação que resulta da união de espíritos inquietos.

12. O Coletivo Fantasma é um grupo que não o é mas está. O seu resultado é matéria inefável, desequilíbrio, vertigem, presença, aragem.